SOBRE O NOME

Trechos do livro O Cerol Fininho da Baixada – Aventuras do Cineclube Mate Com Angu.

“Mate com Angu é o apelido de uma escola que funciona no centro de Caxias e que hoje faz parte da rede municipal em parceria com a Igreja Metodista, atendendo pelo nome de Escola Municipal Dr. Álvaro Alberto. Para entender a força do nome e do símbolo é preciso remeter à figura de Armanda Álvaro Alberto, uma das mulheres mais incríveis que viveram no país no século passado.”

Se fosse falar de tudo o que dona Armanda fez, isso aqui já ficaria imenso, mas basta dizer que além de visionária com sentido incrivelmente prático, ela escrevia de forma apaixonada em defesa da Educação, da emancipação das mulheres, em defesa da igualdade racial, contra o autoritarismo dos governantes e a favor da educação como ferramenta de formação humanística da sociedade. Presa diversas vezes como agitadora, dona Armanda tinha a Escola Regional de Meriti (que inicialmente se chamava, imaginem, em 1921, Escola Proletária de Meriti) como seu laboratório, paixão e coração.

A Regional foi a primeira escola do país a ter horário integral, a ter uma orientação progressista, montessoriana, a ter uma biblioteca, um museu natural e um receptor de rádio (doado por Edgar Roquette Pinto); também foi a primeira escola a pensar e implantar um Círculo de Mães, trazendo a comunidade para o dia a dia da escola; um programa de saúde integrado para os alunos e suas famílias, entre outros avanços. Isso tudo começando na década de 1920, quando Caxias ainda era Meriti, o oitavo distrito de Nova Iguaçu, na época um grande brejo, massacrado por doenças tristes como malária e descaso governamental. E além de todo esse pioneirismo, a Regional também foi a primeira escola da América Latina a servir merenda escolar, e daí o apelido “mate com angu”… Como nas doações dos comerciantes locais sempre tinha fubá e erva mate, muitas vezes havia essa combinação na refeição das crianças nos primeiros anos de funcionamento da escola. Mas o apelido tinha originalmente um sentido pejorativo, que acabou com o tempo sendo absorvido e ressignificado, assumido como um grande orgulho por quem lá estudou, como revela a artista Raquel Trindade, filha do poeta Solano Trindade, aluna da escola, em seu relato no livro de dona Armanda. Mate com angu – um nome cheio de axé, como se vê.

Uma curiosidade maneira é que a Regional é de 1921, mesmo ano de Summerhill, escola fundada pelo educador A.S. Neill, na Inglaterra, uma experiência igualmente revolucionária e igualmente silenciada no século XX… Escola Regional de Meriti, a “mate com angu”, e Summerhill, duas paixões que em minha opinião apontam caminhos humanistas práticos, na direção do bem-estar social e da liberdade como princípio ético para uma sociedade mais justa e saudável.”

Quando estive na Europa, me mostraram métodos de ensino adiantadíssimos. Os senhores não imaginam o que senti quando verifiquei que os métodos da escola que o povo chamava de mate com angu estavam além dos métodos europeus. ‘Mate com angu’ era como nos chamavam na rua, mas eles sabiam que nós não ligávamos para o apelido, não ligávamos porque éramos felizes.

[Discurso da então aluna Raquel Trindade representando os ex-alunos da escola por ocasião da festa de despedida de dona Armanda, em 1963]

Armanda Alvaro Alberto

Armanda Alvaro Alberto. Foto de 1958, arquivo Proedes/UFRJ

Capa do livro A Escola Regional de Meriti-Documentário

Capa do livro A Escola Regional de Meriti-Documentário. Documento histórico, livro fundamental que merece uma reedição pela importância

 

Comentários fechados.