You are currently viewing Arquivos da sessão Maçassaricando – fevereiro 2014

Arquivos da sessão Maçassaricando – fevereiro 2014

maçassaricando - cineclube mate com angu

Texto da sessão

Abrindo os caminhos de 2014, o cineclube Mate Com Angu lança a chama do maçarico no imagético cinematográfico brasileiro, nas quebradas da cidade, no aumento da passagem de ônibus, na lotação da supervia, na ambev tomando conta do carnaval de rua, na emissora dita dura que ainda imprensa os pobres nos shoppings atropelando a cultura local, nos boçais bolsonaros da vida.

Entre o olhar perdido de uma colombina black block e um pierrot atrasado preso no caos do trânsito da cidade, o carnaval reina supremo na terra do calor de 48 graus e dos presos por serem negros…

E tome ar condicionado condicionando o ar pesado… E tome supervia “ trem com destino a Gramacho terá atraso de 300 horas”. E tome despejo das ocupações urbanas em nome de projeto alucinado de privatização, tipo Donald Trump na Saara comprando sua fantasia de rei do porto… Sheik Batista sambando soltinho no baile dessa Ilha Fiscal, onde o povo sempre entra com a mesma parte do corpo… Tudo ao toque de caixa, veloz e feroz, tipo no ritmo daquele pó que pega carona em certos helicópteros por aí. Tá louco mucho loko o bagulho.

E anotaí que também é um saco aquele papo de que o povo é alienado porque adora Carnaval. Esse tipo de discurso perigoso vive rondando nossa história e nesse momento tenso, ele anda assombrando mesmo… É preciso menas caretice e mais verdade, porque o Brasil não precisa de babá: ele já tem uma história de lutas há séculos – só não tá nos livros e imprensa oficiais…

O lance é que o termômetro tá massacrando mas o ar das ruas tem nos dado uma res-pirada básica, pra tomar fôlego e não enlouquecer.

Aliás, o bafo quente já foi o Bafo da Onça, mas hoje a gente fica bolado: o Maraca, que já foi um caldeirão do povo, será de quem agora?

De Austin a Bel, de Saracuruna a Inhoaíba, do Vidigal a São Gonça, a chama do isqueiro rebelde tá acesa em fogo alto, tipo o flamejante flair da Reduc e seu bafo sinistro e intermitente.

O papo tá dado: tá faltando chuva, o Cacique Cobra Coral saiu do circuito e o carnavândalo tá na aŕea – e não vai deixar barato. Vem cair na folia com a gente porque aqui rola um refrigério pra alma e cosquinhas pelo corpo.

Abraços quentes,
Cineclube Mate Com Angu
12 anos de cinema em brasa

Filmes da sessão:

O Maraca é Nosso? Trabalho Colaborativo
Equipe: Leonardo Harim, Renan Silva, JV Santos, Gê Vasconcelos, Wagner Novais, Gustavo Guimarães, Eduardo Santos, Jonas Rosa, Marcelo Scofield, Leo Lima, Felipe Vianna, Micael Hocherman, Rafael Martineau, Ciro Mello, Victor Domingues, Antonio Equi, Caique Mello Rocha, Cadu Barcellos.

Yemanjá do Rio Vermelho, de Pablo Pablo
direção câmera e edição > Pablo Souza; câmera adicional > Diana Iliescu ; narração > Ary da Mata; ; voz feminina > Nara Mascarenhas; trilha > Pique e Raul Zito; 2004; São Paulo/Bahia

Apocaxias, de Edu Silvas
Uma epidemia desconhecida afetou a baixada fluminense deixando pessoas contaminadas, agressivas e sedentas por sangue. Karla uma jovem mulher luta para chegar até sua filha e resgata-la desse mundo apocalítico.
2013 – Duque de Caxias – 5min

Sonhos de Austin
Realizado pelos participantes do Laboratório Mate com Angu de Cinema e Ciberativismo no período de março a dezembro de 2013. Parceria entre a Escola Livre de Cinema de Nova Iguaçu e o Cineclube Mate com Angu. Lançamento.
Criação coletiva: Adelaide de Araujo, André Luiz da Costa, Damiana Ventura, Fabiana Rodrigues, Fabio Tavares, Isabella Oliveira, Kathleen Ferreira, Luana Barbosa, Lucas Pinheiro, Lucimara Anastácio, Pâmella Martinho.
2014 – Nova Iguaçu – 14min

Repórter Isso, de Rodrigo Moraes
Cinejornal satírico com 4 episódios: O Trem da China, Orgias de Gabi, Kriptonita e O Maníaco do Arquivo.
Direção e montagem: Rodrigo Moraes. Direção Assistente: Heraldo HB e Tainá Reis.
Produzida na Oficina do Recine – Festival Internacional de Cinema de Arquivo 2013.
2013 – Rio de Janeiro – 6min

Almas em Chamas, de Arnaldo Galvão
Um bombeiro é envolvido num caso de amor incendiário ao resgatar uma mulher fogosa de um edifício em chamas. A fumaça e o calor os envolve num clima de paixão e sexo irresistíveis, com conseqüências terríveis. Quem brinca com fogo.
2000 – São Paulo – 35mm – Erótico – 11min

Com Baderna, de Patrícia Teles
Uma enquete: Você é a favor desse “tipo” de protesto?
2013 – 1min

Baixada em Cena
Clip Oficial do Marcão Baixada.
2014.

28 um Pulo na Central, de  Arthur Moura e João de Faria
O vídeo propõe uma abordagem sensível de fatos e acontecimentos no tempo presente.
Imagens gravadas no Rio de Janeiro, dia 28 de janeiro de 2014 no ato contra o aumento das passagens de trem e ônibus (MPL).  Produção: 202 Filmes – 8min

Extra

Pra compartilhar pelaí

matecomangu

Cineclubismo na veia, desde 2002 agitando o imaginário de Duque de Caxias, Baixada Fluminense, mundo. Produção Cultural autônoma, guerrilha estética urbana, TAZ.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.